segunda-feira, 30 de julho de 2012

PARA REFLETIR

H.CARLOS SPURGEON (1834-1892) -"O PRÍNCIPE DOS PREGADORES" . . “O fato é que muitos gostariam de unir igreja e palco, baralho e oração, danças e ordenanças. Se nos encontramos incapazes de frear essa enxurrada, podemos, ao menos, prevenir os homens quanto à sua existência e suplicar que fujam dela. Quando a antiga fé desaparece e o entusiasmo pelo evangelho é extinto, não é surpresa que as pessoas busquem outras coisas que lhes tragam satisfação. Na falta de pão, se alimentam com cinzas; rejeitando o caminho do Senhor, seguem avidamente pelo caminho da tolice".

Jõao Calvino -Nenhum verdadeiro cristão pertence a si mesmo.

George Davis - Se seu cristianismo é confortável, está comprometido.

Paul O. Kroon -Nosso alvo deve ser um cristianismo que, como a seiva de uma árvore, corra por todo o tronco e folhas de nosso caráter, santificando tudo.

Samuel Wilberforce- A paz, se possível, mas a verdade, a qualquer preço.

Agostinho - Deus nos escolhe! Qual o critério? Haveria em nós alguma coisa que chamasse a atenção de Deus, uma qualidade a mais, uma dedicação a mais? Na verdade, nada. Ele nos escolhe em Cristo; esse mesmo Cristo que morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Aí, pois, se acha o critério: a graça de Deus que se concretiza em Cristo. E graça, para deixar bem claro, é o amor que o pecador recebe, mesmo sem merecer.

Martinho Lutero

" É claro que quem vive e morre não regenerado não pode ser salvo. Não há salvação da desgraça eterna para quem não foi libertado do estado de pecado. Se pudéssemos ser salvos sem a regeneração, sem a renovação das nossas naturezas, não haveria conseqüentemente a necessidade de que todas as coisas fossem criadas novamente por Jesus Cristo"

" Nada se esquece mais lentamente que uma ofensa e nada mais rápido que um favor. "

" A humildade dos hipócritas é o maior e o mais altaneiro dos orgulhos. Não nos deixemos iludir, em religião, como em tudo mais, conhecimento é poder. (...) Nada, nem fervor, nem devoção, nem zelo, podem afastar a necessidade de conhecimento. Se conhecimento sem zelo é inútil, zelo sem conhecimento é ainda pior, é positivamente destrutivo"






domingo, 22 de julho de 2012

Ramadã: tempo de festa e busca espiritual

Dia 20 de Julho de 2012 começa o ramadã no Egito. Esse mês traz consigo uma atmosfera cultural e religiosa diferenciada, pois trata-se da celebração de um dos pilares do islamismo

Share O ramadã é o mês islâmico em que os muçulmanos de todo o mudo jejuam. Por 30 dias, eles não comem nem bebem nada, do nascer ao pôr do sol
iftar – a primeira refeição ao fim do jejum – deve ser bastante farta.

A produtividade, no geral, é bem baixa durante o mês, tendo em vista que todos se encontram bastante cansados. Os ânimos ficam bastante instáveis, e dirigir para casa a tempo do iftar (a primeira refeição ao fim do jejum) é um pesadelo!

Ao mesmo tempo, a consciência da prática religiosa aumenta drasticamente, mais do que qualquer outro mês do ano. Durante o ramadã, os muçulmanos costumam ler o Alcorão extensivamente, muitas vezes em voz alto, em lugares públicos como no ônibus, no trabalho e, claro, em casa. Como este é um mês "santo" no islã, há a promessa de que serão mais bem recompensados pelas "boas obras", esperando que algumas das coisas más realizadas durante o ano passado sejam apagadas!

Muitos muçulmanos distribuem gratuitamente cestas básicas, montam mesas de iftar nas calçadas, para os transeuntes que talvez não tenham tempo de chegar em casa a tempo de quebrar o jejum à noite. E, claro, o ramadã também é o mês em que os muçulmanos tentam ganhar os "infiéis" para o islã, tentando converter os vizinhos, colegas e amigos cristãos....

Fonte : Portas Abertas Internacional

Irmãos, vamos clamar ao Senhor Jesus, para que Ele se revele através de sonhos e visões para os mulçumanos !
È um povo que está numa busca espiritual, e que a única  Verdade que é o Senhor Jesus eles venham encontrar.


terça-feira, 3 de julho de 2012

John Wesley

No dia 24 de maio de 1738, na rua Aldersgate, em Londres, Wesley passou por uma experiência espiritual extraordinária, é assim narrada em seu diário:

"Cerca das oito e quinze, enquanto ouvia a preleção sobre a mudança que Deus opera no coração através da fé em Cristo, senti que meu coração ardia de maneira estranha. Senti que, em verdade, eu confiava somente em Cristo para a salvação e que uma certeza me foi dada de que Ele havia tirado meus pecados, em verdade meus, e que me havia salvo da lei do pecado e da morte. Comecei a orar com todo meu poder por aqueles que, de uma maneira especial, me haviam perseguido e insultado. Então testifiquei diante de todos os presentes o que, pela primeira vez, sentia em meu coração".

Nos 50 anos seguintes, Wesley pregou em média de três sermões por dia; a maior parte ao ar livre.

Frases John Wesley :

"Por que toda vida eu faço as mesmas coisas e cometo os mesmo erros se sei que estes erros vão me deixar mal".

"Todo cristão deve estar pronto para morrer, ou para pregar."

"Cuidado para não ser tragado pelos livros! Um grama de amor vale mais que um quilo de conhecimento.
Uma pessoa pode ir à igreja duas vezes por dia, participar da ceia do Senhor, orar em particular o máximo que puder, assistir a todos os cultos e ouvir muitos sermões, ler todos os livros que existem sobre Cristo. Mas ainda assim tem que nascer de novo".

 “Faça todo o bem possível, por todos os meios possíveis, de todos os modos possíveis, em todos os lugares possíveis, em todas as ocasiões possíveis, a todas as pessoas possíveis, tanto quanto for possível.”

 “Vocês não tem nada a fazer, senão salvar almas. Portanto, gastem tempo e sejam gastos nessa obra. Devem ir sempre não apenas ao encontro dos que precisam de vocês, mas principalmente daqueles que mais necessitam de vocês.”

 “A autêntica experiência de salvação é transformadora. Ou impacta a orientação total da vida ou não é autêntica.”

 “Eu creio que a santificação seja a vida de Deus na alma do homem, uma co-participação da natureza divina (2 Pe 1.14), o sentimento que houve em Cristo (Fp 2.5), ou a renovação do nosso coração segundo a imagem daquele que nos criou (Cl 3.10)”

 “Vossa própria natureza é dar sabor a tudo quanto vos rodeia. É da natureza do divino sabor que existe em vós expandir-se em tudo quanto tocardes, difundir-se por todos os lados, atingindo a todos aqueles em cujo meio estiverdes. Esta é a grande razão pela qual a Providência de Deus vos misturou com os outros homens, de modo que as graças, quaisquer que sejam, que de Deus houverdes recebido, possam ser comunicadas através de vós ao demais homens.”

 “É o simples e antigo cristianismo o que prego, renunciando e detestando todas as outras marcas de distinção. Porém, dos verdadeiros cristãos, qualquer que seja sua denominação, desejamos ardentemente em nada nos distinguir… por questão de opiniões e termos, não destruamos a obra de Deus. Amar e temer a Deus? Isso é o bastante! Te estendo a mão direita do companheirismo”.

 “Uma piedade azeda (amarga) é religião do diabo”.